O Projeto

Construindo caminhos para a análise de políticas públicas de saúde: este poderia ser efetivamente um resumo das pretensões deste projeto. Caminho que não é dado, que precisa ser construído por cada pesquisador, caminho que se faz ao caminhar. A ideia é oferecer um material que sirva para nossos aprendizados neste caminhar pelas análises de políticas de saúde.

O projeto original constituiu-se tendo como objetivo geral a produção de um material didático sobre metodologia de análise de políticas públicas de saúde. E como em todo projeto, o processo de discussão e trabalho em torno do tema da análise de políticas levou a uma reformulação dos objetivos traçados.

A primeira discussão remeteu ao debate sobre a produção de conhecimento, ao uso e definição de técnicas de pesquisa e aos objetivos presentes em estudos sobre política.

O debate com convidados (Oficina 1[1]) indicou alguns caminhos a serem seguidos na construção do material, quais sejam:

– Promover o compartilhamento de análises e estudos de política realizados e não configurar um manual de metodologia sobre análises de políticas de saúde.

– Investir na apresentação e discussão dos diferentes enfoques e perspectivas de análise, problematizando os limites e desafios que se apresentam nos diferentes tipos de estudo.

– Estabelecer uma construção em rede e tornar-se uma ferramenta de aprendizado coletivo.

Trabalhar com uma visão construcionista da ciência, sem a pretensão de métodos e respostas universais para as perguntas que se apresentam nos estudos.

– Problematizar os conceitos que permeiam os estudos de análise de política.

– Identificar as diferentes técnicas de pesquisa a partir das questões de pesquisa, explorando exemplos de estudos já realizados.

– Trabalhar a ideia de que o analista é um construtor de metodologia, que preza pelo rigor na reflexão e na sustentação dos argumentos de pesquisa.

 

Com esta definição o grupo assumiu como projeto a construção de um material de caráter fundamentalmente dialógico e afirmou uma postura não essencialista na produção de conhecimento.

O segundo momento de inflexão decorreu deste processo, com a crítica à ideia de material didático e público-alvo. Como proposta definiu-se a construção de um material para uso didático e não de um livro didático. O material passou a ser definido como um texto que inicia o leitor num tema, apresenta os conceitos-chave e aponta caminhos de maior profundidade. Como um material para uso didático o mesmo deveria explorar relatos e exemplos de estudos realizados de análise de política de saúde, que facilitassem o entendimento do leitor acerca do tema.

Com esta definição pôde-se também afirmar a proposta de um público-alvo amplo para o material, devendo este voltar-se para os interessados em discutir e analisar políticas de saúde, possibilitando a entrada tanto de estudantes de ensino médio como de pós-graduação, de profissionais de saúde, gestores ou acadêmicos. O principal desafio do projeto passou a ser construir um material com linguagem clara, acessível e com aportes de informações e links complementares para os que vislumbrassem aprofundar conhecimentos ofertados.

O material apresentado neste site é o produto desta primeira discussão, mas o projeto não finaliza nesta produção. A proposta é promover a partir do site um diálogo com os possíveis interessados neste tipo de estudo e tema. Por este motivo, os textos estão sujeitos à revisão à medida que receberem sugestões, críticas, observações e novas propostas de materiais de apoio.

Assim, este é um convite à participação! Esperamos ansiosos seus comentários, pois serão eles que alimentarão a construção deste e de outros materiais. Mas principalmente esperamos com este material mobilizar novos grupos e pessoas a refletirem sobre a construção de nossas políticas e o modo de andar a vida e suas implicações sobre o coletivo. Este é o nosso projeto!


Notas de Rodapé    ((↑) returns to text)

  1. Todo o relato do processo de construção do material está disponível na aba ‘Making-off’.(↑)

About the Author